Tratamentos

Após a realização dos exames iniciais, o médico irá determinar qual o melhor método para se tentar uma gestação. Os tratamentos são divididos em 2 grupos: os de baixa complexidade em que a fecundação do óvulo ocorre dentro do organismo da mulher e os de alta complexidade em que a fecundação ocorre dentro do laboratório.

Independentemente de qual seja a técnica utilizada, a paciente passará por uma etapa inicial em que utilizará hormônios para estimular os ovários a produzirem óvulos. A estimulação ovariana deve ser realizada de acordo com o procedimento que se pretende realizar. No caso de técnicas de baixa complexidade, a estimulação será mais branda visto que o objetivo final é o crescimento de 1 a 4 folículos ovarianos. Quando ocorrer desenvolvimento superior a esse número o ciclo deve ser cancelado ou convertido à técnica de alta complexidade, visto o risco de gestação múltipla ser muito elevado. Nas técnicas de alta complexidade a estimulação é muito mais intensa, pois o objetivo final é a captação de vários óvulos.

Diversas são as drogas utilizadas para a estimulação da ovulação podendo ser orais ou injetáveis. A utilização de muitas drogas que não são do conhecimento da paciente pode causar insegurança e confusão para a paciente, sendo necessária a explicação detalhada para que não haja dúvidas sobre os medicamentos utilizados e para que ela se sinta confiante e tranquila, o que é imprescindível para o bom andamento do tratamento. A aplicação de certa medicação antes ou depois do horário prescrito, por ex., pode levar ao cancelamento do ciclo e causar prejuízos financeiro e emocional para o casal em tratamento. Sempre esclareça suas dúvidas com nossa equipe para evitar confusões.

ALTA COMPLEXIDADE

Indicação de Técnicas de Alta Complexidade. 

  1. Fator Masculino moderado ou grave;
  2. Obstrução tubária bilateral;
  3. Idade feminina acima de 38 anos;
  4. Endometriose moderada ou grave;
  5. Falha nas tentativas com técnicas de baixa complexidade.

BAIXA COMPLEXIDADE